Ausência

 

Ausência

Na almofada branca,
as sandálias sonham
com a seda dos teus pés…

Partiste..
Mas a alegria ainda ficou no quarto,
talvez no ninho morno, calcado por teu corpo
no leito desfeito…

Entardece…
Esfuziante e verde,
um beija-flor entrou pela janela,
( pensei que a tua boca ainda estivesse aqui…)

Do frasco aberto,
vestidas de vespas,
voam violetas…

E na almofada de seda,
beijo as sandálias brancas.
vazias dos teus pés.
(Guimarães Rosa – que me retira a autoridade para quaisquer comentários)

Anúncios

2 Respostas to “Ausência”

  1. Marcelo Pereira Says:

    “Saudade: sentimento pertinente para o amor, enquanto realmente se ama.”
    Guimarães R. expõe, nesse poema, toda sinceridade (e realidade) de um amor perdido. (Seja pelo tempo; seja pelo amor com outra pessoa).

  2. Lucius Says:

    Este poema não está no Magma, está? Não me lembro de tê-lo visto lá.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: